top of page
Buscar
  • Bruno Veloso Fracasso

TODA DOR É IGUAL?


Não. Existem vários estudos no qual profissionais buscam diferenciar os possíveis tipos de dor. Diferentes etiologias, ou seja, diferentes origens são determinantes para que seja compreendido qual o tipo de dor o paciente está sentido. Abaixo listamos algumas características que diferenciam os tipos de dor...



Existem duas categorias amplas e bem reconhecidas de dor: Nociceptiva e Neuropática.

A dor nociceptiva surge a partir de um estimulo advindo de um tecido e percebido como dor pelo cérebro. Esse é o tipo de dor com a qual todos estão bem familiarizados, encontramos desde picadas de abelhas e queimaduras na ponta de um dedo até lesões por esforço repetitivo, dores advindas de tumores ou por artrite reumatóide. A dor nociceptiva geralmente muda com o movimento, posição e carga sobre o tecido ou região lesada.

A dor neuropática surge de danos no próprio sistema nervoso, central ou periférico, causados ​​por doenças, lesões ou estímulos neuropáticos. As neuropatias mais simples se dão por estímulos mecânicos, como aquelas sentidas nas hérnias de disco. Mas como dito no início do texto, trata-se de uma categoria ampla,onde qualquer dano ao tecido nervoso pode ser considerado como na a esclerose múltipla, quimioterapia, alcoolismo e à dor fantasma nos membros amputados. Geralmente é referida como uma facada, choque ou queimação. Infelizmente, também está associada à evolução para provável dor crônica.

Obviamente, esses tipos de dor podem se sobrepor. Alguns problemas podem afetar os nervos e os tecidos, causando os dois tipos simultaneamente.

Complexo, não?


Por isso os profissionais que lidam com dor precisam ser tão altamente qualificados, assim como os encontrados na #CiênciaFuncional!


Ciência Funcional: no pain, YES GAIN!!!

@ciencia.funcional

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page